12/01/2013

Por falar em viver de goles da verdade..





O que deu em mim? Sinceramente, eu não faço ideia. Na verdade, eu nunca faço ideia, elas que me fazem... Então deixa eu explicar essa história. Não sou uma garota de pontos finais, sou uma garota de reticências... Não gosto de fins, nem de começos. Gosto de recomeços, atrasos, surpresas e suspiros. Isso não acontece com pontos finais. E às vezes, penso que só eu mesma gosto de alimentar esses gostinhos de quero mais, só eu mesma gosto da confusão de um até logo, de um beijo de esperança, de uma conversa despreocupada com sabor de será que é ele?

Eu não sei o que deu em mim. Mesmo andando pra frente, eu dou de cara com o passado como se andasse em círculos, dou um sorriso pra ele e assim que começa a enrolação. Digo sei não... E ele diz sabe sim, só não quer dizer. Eu digo "então tá" e não apareço, digo para sempre e vou embora, guardo pra depois jogar fora, digo que estou bem esquecendo da noite passada, desculpo e evito discussões.

Não cutuco feridas, mas também não controlo emoções. Eu só... vivo fugindo. Para piorar eu não consigo nem passar quetinha, despercebida... Sempre me notam, me procuram, me flagram. Eu invento desculpas, invento compromissos, invento amores, invento saudades, me reinvento. Tudo pra fugir de um passado perdido. E por vezes me dá uma vontade de sumir, de mudar de cidade, de virar uma pessoa mais camuflada, que não desperte tanto essa perseguição.

As pessoas não entendem minhas reticências. As pessoas fazem delas esperanças, mas não são. Minhas reticências não deviam ficar à mostra, em praça pública. E note que nem saio direito na rua.

Nessa corrida contra mim mesma, vou me dividindo, entre o que quero, o que desejo, o que preciso, e o que é certo de acordo com os padrões. Confesso que o ultimo me irrita mais. Odeio não poder guardar minhas cartas, odeio ter que esquecer amores, odeio ter que moer erros do passado. Sou feita de agora. Agooooooooora... Entende? Não é passado(.), não é futuro(?). Então me deixa pow! Me deixa dizer o que sinto, gritar minha saudade, sonhar que posso voar, querer o que já tenho... Me deixa pra eu viver de verdades!

Desculpa a demora pra publicar aqui gente,a vida está corrida.
Logo,logo..eu dou uma geral na casa,respondo comentários e faço visitas.

Obrigada por você que veem aqui dar uma espiadinha pra ver se tem algo novo,espero que goste do texto.
Um grande beijo.