Por falar no tal cara..



Eu tinha escrito um texto que o meu inconsciente meio estúpido achava que faria você dizer vem cá, vamos resolver os meus problemas. Aí, cai na real. Caiu a ficha. Caiu. Despencou. Rolou penhasco abaixo.Capotou do alto da montanha. E eu deletei o texto. Porque não faria a menor diferença. A gente tem essa mania de escrever o que não vai ser enviado. Usa uma desculpa safada é só desabafo. Ou para fingir que o nosso sofrimento é mais chique, lírico e misterioso do que o dos outros. Então me diz pra quê expor minhas vísceras? Mas é compulsório, não consigo evitar gastar meu estoque literário de escritora barata usando seu nome e fazendo de conta que o que escrevo não é para você. Quando a gente gosta de alguém e de sua presença, a gente fica bem idiota mesmo, falando coisas das quais vai se arrepender com toda e mais um pouco de certeza desse mundo. A gente perde a vergonha na cara e ainda diz que ser ridículo é coisa do amor. Pff

Eu deletei o texto, e resolvi que escreveria outro para você. Mas dessa vez não estipulei temas, nem assuntos, nem margens de erro, nem que usaria palavras bonitas, nem expressões coerentes, nem tentaria te ter, porque olha, eu nem sei se eu quero você. Tem horas que sim, quero desesperadamente. Mas tem horas, veja bem, tem horas que me dá pena. Eu só não consegui decidir ainda se é de você com seu amor inamável e longe do toque, ou se de mim com meu amor amável a 5 minutos do toque que não conseguiu ser especial o suficiente. 

"O que é pra ser só pode ser se você quer, você nem tentou mudar.
O que é pra ser só pode ser se você quer, você nem tentou me amar."
(2046 ♪ Moptop)

Eu decidi então que só escreveria o que desse vontade de ir escrevendo, assim bem pra lavar mesmo, sem edições, cortes ou correções. Pode ser que você leia, pode ser que te atinja, que fique comovido, achando lindo e amando o que eu escrevi, pode ser que se chateie, que se magoe, mas não se magoe, só estou abrindo comportas. Não se importe, eu parei de me importar, porque né. Me importar com essas coisas gasta muito sentimento, e eu tô cansada de tanto desperdício. 

Eu disse que tem momentos do meu dia em que gosto de você e momentos de quase desprezo, pois agora, meia-noite exata, eu te digo que não sei. Eu quero ficar e quero ir embora. Quero falar com você e quero que você sinta falta da minha voz. Eu quero ir e vir com você e quero que você perceba se eu não estiver por perto. E eu quero que pelo amor de Deus, pare de pensar no que  aconteceu, pare de limitar as coisas, pare de me afastar porque eu não quero sufocar você. Entenda de uma vez por todas: não quero contratos, não quero compromissos, não quero amarras. Eu quero alguém que me abrace (porque gosto de abraços e você bem sabe disso!) e me mande sms me chamando pra contar como foi seu dia. Just this. Não acredito que possa ser demais. 
Será que você está lendo isso agora? Será que você sabe que é para você? Escrevi sem decidir se queria que você lesse. Também não quero respostas, ou demonstrações de compaixão, sinceramente, não é disso que tô precisando. Só escrevi porque sou igual àquelas pessoas que escrevem e não enviam só para fingir que têm a dor de amor mais chique.

A gente acha que amadurece só porque fica mais velho, e eu achava que relacionamento ia ser uma coisa super simples e corriqueira com soluções tão práticas que eu as saberia de cor de tanto que vivi e passei a limpo. Mas aqui estou eu mais uma vez, deparada com uma situação nova que é velha, que eu vivi, mas que não conheço. Aí eu me lembro do Nando Reis: Tornar o amor real é expulsá-lo de você, pra que ele possa ser de alguém. Mas eu amo você? Não, eu só gosto. No fim das contas, tem diferença? Quem garante que esse tal amor que todos falam, mas ninguém nunca viu não é esse mero gostar que todos veem, mas ninguém nunca fala? Por que não pode ser a mesma coisa? Por que precisa ser tão complicado?Ninguém notou que o ser humano é burro e não sabe brincar dessas coisas? 

Quando escrevi para você, assustou. Eu pensei que nunca mais escreveria algo pra alguém. E fui fraca e comecei a sentir que precisava falar de você. Para o bem ou para o mal. Para te louvar ou para te detestar. Para fazer disso mais um desses romances de pé quebrado ou para te pintar de vilão que não tem consideração. Para me fazer de vítima ou. Quem sabe... Eu comecei a escrever qualquer coisa de qualquer jeito, só para ver se conseguia cambiar o que tenho por dentro - tão denso que - e agora estou aqui expondo justamente as vísceras que queria esconder. E agora todo mundo vai saber que eu estou chuviscando por um amor que eu nem sei se é amor. Mas eu estou mesmo sofrendo? Yeshua, pega o meu barquinho e joga na correnteza porque eu não tô dando conta.

Acho que é isso..rs!

Comentários

Postagens mais visitadas