Por falar em..amor de verdade.


"Iaiá, se eu peco é na vontade
de ter um amor de verdade."

(Los Hermanos)


Iaiá, eu queria tanto te dizer coisas,como:" vai passar, daqui a pouco tudo se ajeita, o tempo é o remédio pra tudo."Todas aquelas coisas que as pessoas dizem quando não sabem o que dizer pra consolar alguém, eu te diria todas elas, se eu ao menos tivesse certeza do que falo. Não sei, Iaiá, e essa é só uma das coisas que não tenho conseguido entender e tornar uma verdade na minha vida. Não tenho conseguido entender tantos detalhes, tanta distância sem sentido, tanto amor calado, tanto silêncio apodrecendo palavras tão bonitas. São tantas coisas que não entendo, Iaiá, a confusão é tão grande que eu só te escrevo pra acalmar teu coração, pra te dizer que tudo isso é normal e que você não é a única a sofrer a assim, a buscar resposta em vão, a tentar encontrar beleza num céu tão escurecido pela dor. Você não está sozinha, Iaiá, eu, a moça sentada no banco da praça, o cara com o fone no ouvido, a menina tomando sorvete, todos nós em algum momento sentimos nosso coração dilacerado e penamos tentando encontrar forças pra juntar o que sobrou e catar todos os pedacinhos do chão. Um dia a gente acaba aprendendo, Iaiá, que a vida é assim mesmo. Que pra ganhar algo a gente primeiro perde o que era tão importante. Que pra sorrir com mais força, primeiro a gente derrama todas as lágrimas acumuladas. Que pra aprender a amar, a gente primeiro sofre, cai, quebra a cara, erra pra caramba, pra, quem sabe um dia, acertar o pulo, a quantidade exata de amor, o tamanho do abraço, o comprimento da carta. E, clichê dos clichês, pra aparecer um arco-íris, primeiro tem que chover.


Tem chovido muito por aqui, Iaiá. Tem sido difícil conseguir enxergar os raios tímidos de sol que vez ou outra tentam penetrar minha janela. Tem sido quase impossível não me assustar com os relâmpagos e sustos de amor que vez ou outra me invadem. Acredito que tenha sido assim pra você também. Se eu soubesse o que dizer, diria pra você e pra mim. Se eu tivesse o controle remoto que acelera o tempo, iria ao futuro por nós e descobriria de uma vez por todas o sentido por trás de tudo o que acontece agora. Essa é minha maior vontade. Meu coração vive ansiando pela chegada de algo que ele não sabe ao certo o que é, mas ansiar foi o jeito que ele encontrou pra continuar batendo. Mesmo apanhando com chicotes de indiferença e sendo encharcado pela chuva de realidade que perfura todo e qualquer abrigo, ele insiste em esperar. Pior, ele insiste em acreditar no amor. Pois é, Iaiá, meu maior erro é ansiar por um amor a cada batida do meu coração.
Se me perguntassem se desejo um amor novo ou aquele outro velho amor, talvez eu não soubesse dizer, eu só quero um que dure pra sempre, Iaiá, será pedir demais? Será que nada nesse mundo foi feito pra durar? Será que estamos todos destinados a amar demais e a não ter tempo de viver a demasia do amor? Será que o amor não é capaz de vencer tudo? Eu queria encontrar as respostas e te contar, te dizer que em algum lugar desse mundo alguém vai ouvir a respiração ofegante do seu coração e vir te socorrer. Eu queria poder te dar motivos concretos pra não deixar seu coração desacreditar nunca no amor, mas a experiência do meu coração insistente talvez não sirva de exemplo pra ninguém. Só tenho conseguido buracos cada vez mais profundos e nem toda a esperança que sinto é capaz de conter a onda desesperançosa que vez ou outra destrói todas as minhas construções. Ninguém nunca me ensinou a desistir, Iaiá, e não aconselho isso a você. O amor ainda é o combustível do mundo, ainda é ele que faz o sol brilhar mais forte, que faz os poetas terem o que escrever.


 O amor dói sim, sempre vai doer e nunca vai ser perfeito, mas nada consegue ser maior do que a felicidade que a segurança de tê-lo por perto traz. Do amor eu não desisto nunca, Iaiá, nem da esperança de encontrá-lo pra mim. Já me machuquei muitas vezes, me desesperancei algumas, não nego, mas eu sempre vou estar onde houver uma mínima luzinha de amor. Faça sua escolha, Iaiá, o amor nunca vai ser fácil e indolor, mas a balança de dores e alegria é sempre favorável pro lado sorridente. Mesmo que não dê pra ver o sol, mesmo que seja impossível acreditar que tudo irá passar com o tempo, mesmo que tudo te diga que insistir é suicídio, escolha estar onde o amor estiver. Desista de uma vida como a dos livros, em que as palavras convencem, todas as portas são abertas a nossa frente e todos os desentendimentos terminam com beijos apaixonados sob a chuva. Aceite que os príncipes não são perfeitos e dentro deles existem componentes chaves como orgulho, ciúme e indecisão. Só não desista do amor. Não desista de encontrar um príncipe imperfeito que faça seu coração vibrar. Não desista de montar o seu próprio livro com a sua própria história escrita a mão. Não desista até ver o potencial pra dor sumir e só crescer a alegria dentro de você.

 Agora é realmente impossível enxergar uma solução, mas diga todos os dias quando o seu coração acordar pra realidade, que o sol está vindo disfarçado num sorriso trazer a alegria já tão esquecida. Repita quantas vezes forem necessárias até que ele acredite por si só. Fazendo assim, Iaiá, o seu coração te alimentará com flores mesmo quando a realidade te oferecer pedregulhos. Não pare. Insista. Desista do que não for necessário, só nunca desista do amor. Não desiste por que um dia ele há de bater a sua porta e colorir o retrato em preto e branco na parede. Guarda esse retrato, Iaiá, o que um dia foi nublado há de ser céu azul. É só uma questão de tempo. O futuro virá e nos trará as cores, as respostas e os presentes que farão valer a pena todo esse tempo de dor.

Comentários

Postagens mais visitadas